FRANCISCO OLIVEIRA REELEITO PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA GERAL DA APDA

FRANCISCO OLIVEIRA REELEITO PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA GERAL DA APDA

ÓRGÃOS SOCIAIS DA MAIOR ASSOCIAÇÃO DE ENTIDADES GESTORAS

TOMARAM POSSE NA TERÇA-FEIRA 11 DE MAIO

 

O Presidente do Conselho de Administração da Águas do Ribatejo tomou posse na terça-feira, 11 de maio, como Presidente da Assembleia Geral da Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA).

Francisco Oliveira foi reeleito para o triénio 2021/2023 na assembleia geral que decorreu on line no dia 27 de abril.

O Engenheiro Rui Godinho, administrador da EPAL, professor e investigador, continua na liderança da direção da APDA que integra representantes das entidades gestoras de várias regiões do país, garantindo a cobertura do território nacional.

O Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá continua na Presidência do Conselho Fiscal da APDA.

A Associação criada em 1986 integra as principais entidades gestoras dos setores do abastecimento de água e tratamento de águas residuais do país.

Francisco Oliveira, que é também Presidente da Câmara Municipal de Coruche, está na presidência da assembleia geral desde 2015 como reconhecimento pelo seu trabalho na liderança da Águas do Ribatejo cujo modelo de gestão foi considerado inovador e replicado em várias zonas do país.

A associação está a preparar o Encontro Nacional de Entidades Gestoras (ENEG) que deverá ter lugar em novembro de 2021, no Algarve cumprindo as normas da DGS.

Sobre APDA:

A Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas é uma entidade que representa e defende os interesses dos agentes responsáveis pelos sistemas, de abastecimento de água e águas residuais e de todos os demais intervenientes neste domínio.

A Associação estimula o tratamento, investigação e desenvolvimento dos assuntos relacionados com a quantidade e qualidade das águas de abastecimento, drenagem e destino final das águas residuais, constituindo um fórum para profissionais de diversas formações com intervenção no domínio das águas.

Objetivos da Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas:

– Promover o progresso dos conhecimentos e o estudo e discussão dos problemas relativos aos sistemas de abastecimento de água e águas residuais, nomeadamente nos domínios da gestão, do planeamento, do desenvolvimento, da administração, da ciência, da tecnologia, da investigação e da formação e ensino;

– Fomentar e apoiar iniciativas visando a cooperação de entidades singulares e coletivas interessadas em melhorar os conhecimentos técnicos, económicos, financeiros, jurídicos e administrativos e em criar meios adequados à resolução dos problemas existentes no âmbito dos abastecimentos de água e águas residuais;

– Apoiar e partilhar em ações promovidas pelas entidades gestoras dos sistemas de abastecimento de água e águas residuais que contribuam para o desenvolvimento dos conhecimentos do sector em causa;

– Colaborar com organismos e associações congéneres e suscitar a participação portuguesa em programas internacionais, no domínio do abastecimento de água e águas residuais com interesse para o País.

Atribuições principais da Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas:

– Organizar reuniões, colóquios, visitas de estudo e outras atividades similares, nos planos nacional e internacional;

– Incentivar a realização de ações de formação e de atualização cientifica e tecnológica;

– Promover ações de informação e de conhecimento utilizando os meios de comunicação que considere convenientes;

– Promover a elaboração e a divulgação de trabalhos utilizando formas de colaboração com organismos interessados na proteção dos recursos de água ou em atividade que estejam, direta ou indiretamente, relacionadas com o abastecimento de água e águas residuais;

– fomentar a análise e solução de questões fundamentais dentro das suas áreas de interesse mais relevantes;

– estudar problemas específicos sobre os quais a Associação tenha sido consultada ou entenda dever pronunciar-se, com eventual recurso à constituição de grupos de trabalho;

– estabelecer acordos e protocolos com entidades de investigação científica e tecnológica e responsáveis pelo controlo de qualidade de materiais, aparelhos e acessórios diversos utilizados nos sistemas de abastecimento de água e águas residuais, para o desenvolvimento de estudos e ações de interesses para o sector de atividade;

– fazer-se representar em comissões consultivas ou deliberativas constituídas por iniciativa de entidades públicas ou privadas, quando para tal for solicitada;

– apoiar o funcionamento de comissões portuguesas de associações internacionais cujos objetivos se identifiquem com esta Associação.