Águas residuais dos Foros e Aldeia do Peixe serão tratadas na ETAR dos Foros de Salvaterra

10 de abril de 2018

Águas residuais dos Foros e Aldeia do Peixe serão tratadas na ETAR dos Foros de Salvaterra

 

        

 

Construção de Estação elevatória, emissário e rede de saneamento custa mais de 627.000 euros. Obra é um anseio antigo de centenas de pessoas.

A população da típica Aldeia do Peixe -lugar paradisíaco na margem direita do rio Sorraia entre as localidades da Barrosa, concelho de Benavente e Foros de Salvaterra, no Município de Salvaterra de Magos- recebeu com agrado o anúncio das obras de construção do novo sistema de saneamento que irá encaminhar os esgotos da aldeia para a ETAR de Foros de Salvaterra de Magos. A operação tem uma custo estimado de 627 mil euros, tem um financiamento comunitário de 85% via POSEUR PORTUGAL 2020 e deverá estar concluída no primeiro semestre do próximo ano.

A operação em curso destina-se a requalificar e integrar a bacia drenante existente na margem direita do rio Sorraia. A descarga das águas residuais é feita no rio ou no solo sem tratamento prévio.

Após a construção das infraestruturas, os efluentes serão tratados no Subsistema de Saneamento de Águas Residuais de Foros de Salvaterra.

As descargas existentes serão eliminadas e os esgotos encaminhados para a ETAR dos Foros onde serão sujeitos a tratamento adequado antes da devolução ao rio.

Para tal revela-se necessária a construção de uma estação elevatória, emissário e colectores de saneamento. Os trabalhos serão executados nos seguintes locais: rua dos Pescadores, rua Nova, rua da Restauração, rua 28 de Março e rua da Aldeia do Peixe, todos nos Foros de Salvaterra e Aldeia do Peixe.

A Estação Elevatória a implantar na Aldeia do Peixe elevará o esgoto doméstico até à rede gravítica existente na Estrada das Malhadinhas. São cerca de 5300 metros de coletores gravíticos e de 1600 metros de conduta elevatória.

A empreitada iniciou-se numa primeira fase na travessa da Pedreira, rua do Agricultor (troço junto à EN 114-3), rua do Campo de Futebol e rua 1.º de maio, numa extensão de 1400 metros. Estão previstos cerca de 190 ramais para uma população 550 habitantes equivalentes.

A intervenção incide territorialmente nos concelhos de Benavente e Salvaterra de Magos que uniram esforços para concretizar uma solução intermunicipal que revela uma saudável relação de solidariedade e complementaridade.

Carlos Coutinho, Presidente da Câmara Municipal de Benavente explica que a decisão foi tomada depois de conversações com os moradores. “Trata-se de um anseio antigo daquelas famílias. Uma obra importante que vai melhorar a qualidade de vida e o ambiente num local que queremos valorizar pelas suas condições naturais e pelo potencial que pode ter como ponto de um roteiro turístico”, explica.

A típica Aldeia do Peixe, que acolheu as primeiras famílias avieiras há mais de 80 anos, é um ponto de encontro de Benavente com Salvaterra de Magos através do leito do Sorraia.

Helder Esménio, Presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos congratula-se com o avanço desta intervenção que permite rendibilizar meios e criar economias de escala e de valor. “Um pequeno sistema só para tratar os esgotos da Aldeia do Peixe ou apenas alguns arruamentos dos Foros de Salvaterra que drenam os efluentes naquela bacia, não seria viável e não teria financiamento. Com esta união de interesses foi alcançada uma solução equilibrada e que vai permitir tirar proveito das excelentes condições da ETAR dos Foros de Salvaterra”, refere o autarca.

Helder Esménio reforça o apelo para que todas as populações servidas por redes de saneamento façam a ligação ao sistema, beneficiando das condições favoráveis de isenção ou redução significativa de custos proporcionadas pela AR dentro dos prazos fixados.

Os autarcas recordam o contributo que a AR tem dado para a despoluição das linhas de água nas bacias hidrográficas do Tejo e do Almonda.

Desde 2009 foram construídas e requalificadas 47 estações de tratamento de águas residuais e respetivos emissários, estações elevatórias e colectores. O investimento realizado no saneamento nos sete municípios ascende a cerca de 80 Milhões de Euros.

O objetivo é dotar todos os concelhos com uma cobertura de qualidade superior a 80% da população na certeza de que há pequenos núcleos populacionais isolados onde não será possível implementar redes de saneamento, mantendo-se a opção das fossas sépticas que se revelam soluções eficazes quando instaladas e mantidas em conformidade.

 

 

 

 

 

 

Juntos, Estamos a Construir o Futuro !