ÁGUAS DO RIBATEJO INAUGURA DUAS ETAR E ANUNCIA NOVAS EMPREITADAS EM DIA DE ANIVERSÁRIO

13 de dezembro de 2017

ÁGUAS DO RIBATEJO INAUGURA DUAS ETAR E ANUNCIA NOVAS EMPREITADAS EM DIA DE ANIVERSÁRIO

A empresa intermunicipal Águas do Ribatejo assinalou hoje o seu 10.º aniversário com a inauguração de duas estações de tratamento de águas residuais (ETAR) em Samora Correia e em Benavente e o anúncio de novas empreitadas em Torres Novas.

O aniversário da empresa, criada há 10 anos exclusivamente com capitais dos municípios que aderiram para gerir os sistemas de abastecimento de água e de saneamento duma área que abrange uma população de 150.000 pessoas, foi assinalado com uma sessão que contou com a presença dos ex presidentes das Câmaras Municipais de Benavente, Coruche, Alpiarça e Chamusca, alguns dos protagonistas na génese do projeto.

À sessão da manhã, que teve ainda as participações do secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, do presidente da ERSAR (entidade reguladora), Orlando Borges, do ex-ministro do Ambiente (2005-2009) Francisco Nunes Correia e do presidente do Grupo de Apoio ao PENSAAR 2020, Diogo Faria de Oliveira, seguiu-se o anúncio de novas candidaturas aprovadas para empreitadas a realizar nos concelhos de Benavente e Torres Novas.

O presidente da Câmara de Coruche e do Conselho de Administração da Águas do Ribatejo, Francisco Oliveira, disse à Lusa que os investimentos hoje inaugurados — as ETAR da Murteira e da Quinta do Papelão — e aquele que teve o lançamento da primeira pedra — a ETAR de Samora Correia (um investimento de 4,6 milhões de euros) — se inserem no esforço de recuperar o “défice de cobertura” em matéria de saneamento, uma vez que a região está “razoavelmente bem dotada” em termos de abastecimento de água.

O autarca salientou que a empresa tem vindo a investir em equipamentos “topo de gama”, distinguindo-se ainda pela aposta na inovação, de que é exemplo o projeto “Watersense”, que lidera e desenvolve em parceria com o Instituto Superior Técnico e várias entidades da União Europeia para “estudar a qualidade dos recursos aquíferos através de um biossensor que recolhe informação biológica e química da água subterrânea e superficial em tempo real”.

Francisco Oliveira adiantou que prossegue “o namoro” com outros dois municípios da região — Santarém e Golegã -, uma vez que a empresa tem capacidade para servir um universo entre os 200.000 e os 250.000 clientes, ganhando todos com a escala que a Águas do Ribatejo passaria a ter.

A Águas do Ribatejo integra os municípios de Almeirim, Alpiarça, Benavente, Chamusca, Coruche, Salvaterra de Magos e Torres Novas.